Os simbióticos são produtos alimentares resultado da combinação de prebióticos e probióticos em quantidades adequadas, que proporcionam os efeitos benéficos de ambos os componentes, os quais são essenciais para a manutenção da saúde intestinal.

Os prebióticos são definidos como fibras alimentares que, quando ingeridas, não sofrem digestão e absorção pelo sistema digestório e, quando chegam no intestino servem de alimento às bactérias benéficas, também conhecidas como probióticos, permitindo modificações positivas na composição e/ou atividade da flora intestinal e garantindo efeitos benéficos à saúde. Um exemplo de prebiótico são os fruto-oligossacarídeos (FOS), de origem vegetal e derivados da inulina (substância extraída da chicória amarga), podem ser encontrados em pequena quantidade em alguns alimentos, tais como alcachofra, aspargo, chicória, alho, banana, entre outras fontes.

A associação dos prebióticos com os probióticos potencializa os efeitos dos microrganismos benéficos no ambiente intestinal. As fibras prebióticas promovem o aumento da quantidade e da diversidade de bactérias benéficas no intestino e servem de alimento para os probióticos. Além disso, essas fibras servem de alimento para os probióticos e, quando fermentadas por estes, produzem diferentes substâncias, dentre elas os os ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), que contribuem para a melhor absorção de nutrientes.

Dessa forma, os simbióticos, quando consumidos regularmente, tem efeito potencializado no organismo e podem auxiliar na melhora da composição da flora intestinal, levando à melhora da qualidade de vida dos indivíduos.

Simbioflora® é um simbiótico que associa 4 espécies de probióticos, na quantidade de 1 bilhão UFC de cada uma delas, totalizando 4 bilhões de probióticos, com a fibra prebiótica FOS, na quantidade de 6g, em um único sachê, conforme descrição abaixo:

– Lactobacillus acidophilus NCFM

– Lactobacillus paracasei LPC-37

– Lactobacillus rhamnosus HN001

– Bifidobacterium lactis HN019

– Fruto-oligossacarídeos – 6g

Essa combinação pode proporcionar efeitos benéficos mais potentes para a saúde quando associados a uma dieta equilibrada e a hábitos de vida saudáveis.

  • Referências

    12. Ciorba MA. A gastroenterologists guide to probiotics. Clinical Gastroenterology and hepatology 2012;1 0:960-968.

    13. Patel R et al. New Approaches for Bacteriotherapy: Prebiotics, New-Generation Probiotics, and Synbiotics. Clinical Infectious Diseases. 2015;60(S2):S108–121.

    14. Guarner F et al. Probióticos e prebióticos. Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gastroenterologia 2011: 2-22.

    15. Saad SMI. Probióticos e prebióticos: o estado da arte. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 2006;42(1).

    16. Fortes RC et al. Efeitos da suplementação dietética com frutooligossacarídeos e inulina no organismo humano: estudo baseado em evidências. Com. Ciências Saúde. 2009;20(3):241-252.

    17. Hauly MCO et al. Inulina e Oligofrutoses: uma revisão sobre propriedades funcionais, efeito prebiótico e importância na indústria de alimentos. Semina: Ciências Exatas e Tecnológica. 2002;23(1):105-118.

    18. Sanders ME. Impact of Probiotics on Colonizing Microbiota of the Gut. J Clin Gastroenterol 2011;45:115-119.

    19. Chapman CMC et al. Health benefits of probiotics: are mixtures more effective than single strains? Eur J Nutr (2011) 50:1–17.

    20. Slavin J. Fiber and Prebiotics: Mechanisms and Health Benefits. Nutrients 2013, 5: 1417-1435.

    21. Vyas U & Ranganathan N. Probiotics, Prebiotics and Synbiotics: Gut and Beyond. Gastroenterology Research and Practice. 2012.

    22. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Comissões de assessoramento tecnocientífico em alimentos funcionais e novos alimentos. Lista de alimentos com alegações de propriedades funcionais ou de saúde, novos alimentos/ingredientes, substâncias bioativas e probióticos, aprovada de 11 de janeiro de 2005. Atualizada em julho de 2008.